Design a site like this with WordPress.com
Get started

“MULHERES DO MEU PAÍS ” E O TRABALHO NO ESTADO NOVO: da retórica do regime à realidade do trabalho no feminino

Do homem a praça, da mulher a casa. Estamos muito habituados a ouvir frases e provérbios deste tipo, fazem parte do nosso imaginário popular. O discurso imposto pelo regime de Salazar sobre a mulher e o seu papel na vida portuguesa parece ter vingado, não só em ditadura, mas também após a queda do regime.... Continue Reading →

A LIBERDADE ENLEADA DAS REDES

O tempo em que vivemos é dependente das tecnologias de informação. A Indústria de hardware (processadores, chips, etc) e software (sistemas operativos como o Windows, IOS, e outro tipo de programas) desenvolveram ao longo dos últimos 20 anos, conjuntamente com a miniaturização dos componentes, soluções que levaram a uma maior capacidade de processamento a um custo... Continue Reading →

NO FIO DA NAVALHA IV

Que dizer deste ex-combatente do Ultramar, que é meu pai? É um senhor que fará 72 anos no dia 21 de Agosto. Bem bonito, o meu pai. Tem olhos esverdeados e um sorriso que nos dizem iguais. Ficou gordinho, entretanto, o metabolismo já não é o que era. Quando combatente, parecia um pau de virar... Continue Reading →

TRIBUNAL CÍVICO HUMBERTO DELGADO

Julgar a PIDE, Condenar o Fascismo . Que nenhuma voz se cale! Que nenhuma história sobre a PIDE e os seus crimes fique esquecida! Que nenhum depoimento vivido se perca! Eles serão a seiva que alimentará este Tribunal de Opinião e lhe dará o peso de um testemunho colectivo. Proclamação do Tribunal Cívico Humberto Delgado,... Continue Reading →

DIÁRIOS DE RESISTÊNCIA – Parte IV

Parte IV – Da Guerra Colonial ao 25 de Abril de 1974 (1961-1974) Apresentamos aqui a última fase de acções de resistência até à queda do regime com a Revolução de Abril. São tempos extremamente agitados, que surgem na sequência de um acto eleitoral conturbado e fraudulento, causador de um alargado descontentamento social e do... Continue Reading →

Blog at WordPress.com.

Up ↑